sábado, 30 de abril de 2011

AJJ A PATINAR.... Ai se ele cai!


O regresso do PND aos actos públicos do presidente do GR, desviou ontem as atenções durante a inauguração da zona de lazer da ribeira do Faial. Assim que Alberto João Jardim iniciou o discurso, e porque no novo recinto sobressai a pista de patinagem, alguns dos elementos da Nova Democracia posicionados 'na linha da frente' desfraldaram uma tarja com a inscrição 'a Madeira está a patinar'. O governante inicialmente ignorou mas depois reagiu à provocação quando 'disparou' na direcção dos "ambientalistas", dos "fascistas" e dos "filhos das trevas, para não chamar filhos de outra coisa", insinuou. Baltazar Aguiar, que chegou a ser abordado por um segurança do presidente, repetidamente interferiu chamando "mentiroso" a Jardim, que despediu-se desejando: "Deus me dê força para me rir dos patetas que andam por aí à solta".

Com a devida vénia ao Diário de Notícias da Madeira

Antes o presidente reivindicou "mais poder legislativo" para a Madeira e classificou de "autêntica vergonha" os entraves para que a Zona Franca da Madeira "vá por diante", quando "querem fazer uma em Sines", denunciou.

Jardim foi recebido com fogo de estalo e ao som de filarmónica, curiosamente vinda do Funchal, quando só no concelho de Santana existem três bandas! Muitos compareceram à inauguração transportados em vários autocarros fretados para transportar crianças e idosos da freguesia, embora alguns viajassem nem com 'meia dúzia' de passageiros.

terça-feira, 26 de abril de 2011

25 de ABRIL chega ao JM


Com a devida vénia ao Diário de Notícias da Madeira

PND vai continuar a combater o regime jardinista


Com a devida vénia ao Diário de Notícias da Madeira

O PND-Madeira garante que caso consiga eleger um deputado à Assembleia da República vai continuar a denunciar e a combater os atropelos e abusos do regime jardinista. A garantia foi deixada esta manhã pelo mandatário e número quatro da lista do PND, Dionísio Andrade, durante a apresentação da lista de candidatos deste partido às próximas eleições.

Segundo Dionísio Andrade, que falava no cais da cidade do Funchal, caso o PND consiga eleger um ou dois deputados à Assembleia da República "vai defender e combater este regime que nos governa há 30 e tal anos. Um regime que já deu o que tinha a dar e nos levou para a bancarrota, onde as dívidas acumulam-se dia a dia e quem irá pagar toda esta dívida provavelmente serão os nossos filhos e netos."

A campanha do PND, disse, será "centrada no combate ao regime. Os partidos políticos estão cristalizados, fecharam-se entre si e, portanto, a Sociedade deixou de acreditar no sistema político/partidário." O PND e os cidadãos que aceitaram integrar a lista vão, "sem jogos partidários, sem muitas regras e formalismos combater o regime jardinista que tanto nos atropela nos nossos direiros e liberdades".

O mandatário e candidato do PND reconhece ser "difícil eleger um deputado ou dois para a Assembleia da República", mas sublinha que os madeirenses e portosantenses podem contar "com um grupo de cidaddaõs que está aberto" e disponível para "combater um regime caduco e fora de prazo".

A Lei de Meios e a forma como será aplicada para "alimentar a máquina bélica do betão do regime jardinista" e alguns atentados ao ambiente provocados pela "ganância de fazer obra a todo o custo para representar e simbolizar apenas em actos eleitorais e que não têm utilidade nenhuma" serão algumas das denúncias prioritárias do PND.

Dionísio Andrade explicou que durante a campanha o PND vai continuar a "utilizar a denúncia dos principais problemas que afectam a Região, mas também vamos ridicularizar o regime. Vamos ter nas nossas acções de campanha o já conhecido e famoso Manuel Bexiga", diz Dionísio Andrade acrescentando que a "Região chegou a um estado tal que só mesmo gozando e ridicularizando esta situação" será possível saber "se quem nos desgovernou ao longo destes anos tem um pouco de vergonha pela situação em que todos nos encontramos, que é uma situação de bancarrota."

A lista apresentada é constituída "essencialmente por pessoas da sociedade civil, é encabeçada por Hélder Spínola, professor universitário e "representante da Madeira Velha". Segue-se Rubina Sequeira, advogada e "representante da Madeira Velha". Em número três da lista surge Baltazar Aguiar, o "único representante da Madeira Nova e um perigoso comunista". Já em quarto lugar surge Dionísio Andrade, "jornalista e perigoso fascista da Madeira Velha". O quinto lugar é ocupado por Catarina Santos, educadora de infância no Porto Santo e "perigosa fascista da Madeira Velha". O´último lugar da lista é ocupado por Gil Canha, empresário e ex-membro da "União Nacional".

Já a lista dos suplentes é encabeçada por Amâncio Silva, empresário da construção civil. Em segundo lugar surge Tomás Freitas, funcionário público. "Como vêm é uma lista de perigosos fascistas com apenas um ou dois representantes da Madeira Nova", sublinhou Dionísio Andrade.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

PND “liberta” Jornal da Madeira em comemoração do 25 de Abril

Dirigentes do Partido da Nova Democracia (PND) utilizaram esta manhã uma chaimite militar para “libertar das garras do jardinismo” o Jornal da Madeira que, dizem, “continua a ser o símbolo do totalitarismo” nesta região.

Com a devida vénia ao Público

Com esta acção política comemorativa da revolução - semelhante à desenvolvida há dois anos quando dirigentes daquele partido “ocuparam” a Quinta Vigia, sede da presidência do governo regional, e exigiram a “rendição” de Alberto João Jardim à democracia – o PND pretendia alertar que o “25 de Abril não chegou à Madeira. “Pretendemos também denunciar que o regime, como no passado, continuar a utilizar um jornal, pago pelos contribuintes, para fazer propaganda de um partido totalitário e do seu líder”, justificou Eduardo Welsh.

A revolução de Abril, por recusa do PSD, voltou este ano a não ser celebrado na Assembleia Legislativa da Madeira. Com excepção deste partido e do CDS/PP, os restantes cinco partidos representados no parlamento assinalaram a data com iniciativas próprias.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Candidatura de Spínola 'irrita' partidos


O avanço de Hélder Spínola como cabeça de lista do PND-Madeira às eleições legislativas de 5 de Junho está a dar que falar entre as estruturas partidárias da Região.

Com a devida vénia ao Diário de Notícas da Madeira

A candidatura do independente ganhou destaque, ontem, nas redes sociais, com a classe política a prestar especial atenção ao lema de Spínola: "uma candidatura contra os partidos".

"Se esse partido ganhar, acaba com os partidos e com a democracia?", ironiza o independente Carlos Pereira, lembrando que "sem partidos não há democracia".

Na resposta, Spínola explica que não quer acabar com os partidos. A ideia, diz, é demonstrar que essa não e´ "a única forma de surgirem candidaturas".

Também nas redes sociais, o centrista Lopes da Fonseca questiona a legitimidade de "alguém se afirmar independente" e, depois, "todos os partidos lhe servem para se candidatar".

O deputado vai mais longe e considera que usar "um partido e dizer que se apresenta contra os partidos (...) é a mais pura contradição e hipocrisia política".

Também para o economista Ricardo Fabrício, "a negação da possibilidade da democracia sem partidos é capaz de corresponder a um exercício de negação - em abstracto - da própria democracia".

quinta-feira, 14 de abril de 2011

É A ISTO QUE CHAMAM DEMOCRACIA MUSCULADA, NÃO É?

Realmente na Madeira há muito seguidores de Chavéz e afins, que levam as pessoas a ter medo...


Autor de “Jardim, a grande fraude” queixa-se de recusas da apresentação do livro na Madeira

“Jardim, a grande fraude” é apresentado esta quarta-feira em Lisboa. O retrato do homem que governa a Região Autónoma da Madeira há três décadas ainda não foi apresentado na região, porque não houve nenhum hotel nem livraria que aceitasse acolher o lançamento. Quem o diz é o próprio autor do livro, Ribeiro Cardoso, em entrevista à jornalista Alexandra Costa.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

segunda-feira, 4 de abril de 2011

NOTÍCIAS DA BOLA

Já vi tanto jogador promissor acabar a carreira por escolha errada do empresário...

Mas o empresário enriqueceu com a comissão paga...

E invariavelmente de início a conversa era do tipo, "agora é que vai ser, vou ter uma grande carreira". Muitos, nunca mais se ouviu falar deles, pouco tempo depois dessa transferência!

GIL CANHA: ARQUIVAMENTO É PROVA DO DESCRÉDITO DO MINISTÉRIO PÚBLICO


Com a devida vénia ao Diário de Notícias da Madeira
 
Free counter and web stats
Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!