quarta-feira, 30 de junho de 2010

O REI DA MADEIRA

Face à habitual reacção esquizofrénica do biografado e ainda sem o ter lido, parece-me que já posso recomendar a leitura deste livro, até porque a sua autora, jornalista consagrada actualmente a trabalhar para  revista Sábado é garantia de qualidade. (Consagrada, mas ainda pouco conhecida do grande público, mas este ano, com este livro mais o episódio do roubo dos gravadores pelo vice-presidente da bancada do PS na AR, as coisas vão mudar!)



segunda-feira, 28 de junho de 2010

José Manuel Coelho critica Paulo Portas e Jardim


Deputado considera ter havido cedência aos interesses norte-americanos na construção do radar no Pico do Areeiro

Com a devida vénia ao Diário de Notícias da Madeira

O deputado único do PND na Madeira, José Manuel Coelho, acusou no sábado Alberto João Jardim e Paulo Portas de cederem aos interesses dos norte americanos ao permitirem a construção do radar no Pico do Areeiro, nas montanhas da Madeira.

José Manuel Coelho falava numa acção política no Pico do Areeiro, onde está a ser construído o radar "negociado por Paulo Portas [actual líder do CDS/PP] enquanto era Ministro da Defesa, numa instalação militar que está a surgir com a bênção de Alberto João Jardim [presidente do governo regional da Madeira] que cedeu aos interesses da Nato, dos norte americanos".

"Alberto João Jardim enche a boca com conversas autonómicas defendendo a Madeira em primeiro lugar, à frente do PSD e de tudo, mas na prática faz o contrário", disse.

O deputado acusou o presidente do governo regional de ter "entregado aos norte americanos, aos interesses dos Estados Unidos, o Pico do Areeiro, uma zona nas montanhas onde se consegue ver o mar a toda a volta da ilha, um dos pontos emblemáticos do ponto de vista turístico e ambiental".

Afirmou que "Paulo Portas, para receber uma medalha da Nato, entregou aquela zona, uma das mais bonitas da ilha que é a catedral do turismo e uma paisagem única no mundo, à superpotência mundial que vai criar condições para melhor atacar outros povos".

"É tempo dos madeirenses abrirem os olhos e perguntarem porque é que o CDS/PP-Madeira não disse nada sobre este assunto", mencionou.

De acordo com o deputado, os madeirenses desapontados com o PSD, que optam por votar no CDS, permitindo que este partido tenha vindo a crescer na região, devem reflectir sobre a posição dos populares que "não defendem os interesses da região mas de estrangeiros".

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Julgamento de activistas de Cabinda adiado para Julho


Com a devida vénia ao Público

Estava previsto para hoje mas, à última hora, foi adiado para 12 de Julho, o julgamento em Cabinda do padre Raúl Tati e de outros activistas dos direitos humanos detidos ao abrigo da Lei dos Crimes contra a Segurança de Estado, aprovada em 1978.

O julgamento foi adiado tendo em conta um pedido de inconstitucionalidade da acusação apresentado pelos advogados Luís Nascimento e Idalina Vieira; e consequentemente encaminhado todo o processo para o Tribunal Constitucional de Angola, a fim de que o analise.
A sessão prevista para 12 de Julho deverá ter em conta o que o Tribunal Constitucional disser sobre esta acusação de “autoria material de um crime de outros actos contra a Segurança Interior do Estado".

O antigo vigário-geral da diocese de Cabinda, o economista Belchior Lanso Tati e outros activistas dos direitos humanos foram presos depois do atentado de Janeiro contra o autocarro que transportava a selecção de futebol do Togo que ia participar no Campeonato Africano (CAN 2010). No incidente, reivindicado por uma facção independentista, registaram-se dois mortos.

No despacho de pronúncia alega-se que os réus tinham em seu poder documentos e panfletos que atentavam contra a segurança de Angola, por neles se fazer a apologia dos ideais de autodeterminação da província de Cabinda, tal como desde 1963 é preconizado pela FLEC, a frente de libertação presidida por Nzita Henriques Tiago e que se desdobra em diferentes facções.

Os advogados ainda tentaram hoje de manhã pedir a liberdade condicional do padre Tati, do economista Belchior Tati e do advogado Francisco Luemba, mas o pedido foi indeferido.

A propósito deste processo, a eurodeputada socialista portuguesa Ana Gomes escreveu no blogue Causa Nossa que “esta campanha repressiva destinada a silenciar vozes incómodas em Cabinda desonra Angola e, obviamente, não serve os interesses dos angolanos, agravando, em vez de resolver, a questão de Cabinda”.

Para a D. Estudante está tudo bem!

O mais preocupante é haver gente que depois da fase da negação da realidade está neste momento a dizer que o problema é devido à crise. Não é e quando esta passar, haverá uma melhoria mas que decerto não será substancial.

Há problemas estruturais - construiu-se em excesso, o betão invadiu zonas anteriormente de grande beleza e isso repercute-se nos preços a praticar; entrou-se também num círculo vicioso em que o serviço piora por não haver receitas, o que leva a nova quebra de receitas e a ainda pior serviço; gastaram-se milhões em elefantes brancos sem qualquer rentabilidade (a maioria nem cobrem os custo de funcionamento) como Madeira Story Center, Parque Temático de Santana ou Aquário de Porto Moniz, entre muitos outros; continua-se a insistir sistematicamente nos mesmo erros - o projecto megalómano do teleférico do Rabaçal continua de pé....



Com a devida vénia ao Diário de Notícias da Madeira

Ocupação hoteleira preocupa AP Madeira

Catanho Fernandes

A baixa ocupação dos hotéis da Madeira e a necessidade de ser apurado o retorno das investimentos efectuados em promoção foram dois pontos em destaque na última reunião do Conselho Consultivo da Associação de Promoção (AP) da Madeira, realizado anteontem no Funchal.

O Conselho Consultivo apreciou a situação actual do turismo na Madeira, tendo se debruçado sobre os últimos indicadores, correspondentes ao primeiro quadrimestre deste ano. Fazendo a comparação com igual período do ano passado verificou-se uma baixa de 12,9% na entrada de hóspedes (menos 43 mil) e de 14,6% no número de dormidas (menos 248 mil camas hoteleiras ocupadas). Verificou-se também uma queda no rendimento por quarto disponível, que baixou 16% e situou-se nos primeiros quatro meses em 24,89 euros, e uma baixa ainda na taxa de ocupação que foi de 42,8% de Janeiro a Abril de 2010.

A tendência de Maio, embora não existam ainda estatísticas disponíveis, é semelhante, pois a queda de tráfego no Aeroporto da Madeira aponta uma queda de 10% no número de passageiros movimentados.

Da discussão estabelecida entre os conselheiros chegou-se à conclusão de que, não obstante, sejam conhecidas as causas da queda do turismo, que é global, agravada na Madeira pelas enxurradas de 20 de Fevereiro, a baixa do negócio na hotelaria resulta também de "causas estruturais endógenas, que urge ultrapassar".

O segundo ponto em análise foi suscitado pelas conclusões da IV Conferência Anual do Turismo, organizada pela Ordem dos Economistas. O documento foi analisado com muito interesse, face às questões pertinentes aí referidas, nomeadamente a questão da distribuição, gestão do preço e promoção. Perante a escassez de meios financeiros, os conselheiros sugerem que terá de ser feita uma opção pela focalização das acções e, de igual modo, pela segmentação das mesmas.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

ERA ÓBVIO...

Como é que os principais responsáveis pelo estado em que o país está poderiam votar de forma diversa? Claro que não!

Madeira: PSD e PS rejeitaram no parlamento regional voto de protesto contra pacote de austeridade

O PSD e o PS rejeitaram hoje em plenário, no parlamento da Madeira, um voto de protesto do BE contra o “pacote de austeridade” que o deputado bloquista classificou de “uma verdadeira atitude de terrorismo social”. O voto foi discutido no período de antes da ordem do dia da sessão plenária da Assembleia Legislativa da madeira e teve votos favoráveis dos deputados do PND, MPT, CDS e PCP que criticaram a maioria social democrata e o maior partido da oposição por estarem de acordo nesta matéria.


Lopes da Fonseca do CDS-PP censurou estes partidos por estarem de “mãos dadas” neste acordo e o Governo da Madeira por apoiar este plano por causa da Lei de Meios que “vem beneficiar o PSD e não a região, porque há eleições em 2011”.

Leonel Nunes (PCP) criticou também a “demagogia” em torno desta questão, responsabilizando o PS pelas medidas que vêm penalizar os trabalhadores, as famílias e as empresas, enquanto que Jaime Silva (MPT) declarou que “o que salva estes governantes é os portugueses serem um povo de brandos costumes, mas que está a perder a paciência”.

“Entendemos a intenção deste voto”, disse o líder parlamentar socialista, André Escórcio, sublinhando que o país está “confrontado com uma situação muito grave, mas que o Governo Regional dispõe de instrumentos que pode ativar para atenuar os efeitos mais gravosos” deste plano de austeridade.

Elvio Encarnação, do PSD, referiu que esta iniciativa demonstra que o BE “ignora a realidade, que acabou o tempo das vacas gordas e é preciso um novo ciclo, sendo urgente a adoção de medidas excecionais”, pelo que a posição do PSD “demonstra um alto sentido de responsabilidade”.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Funchal – PND realiza acção política na 5ª feira


Gil Canha fala aos jornalistas frente à Câmara do Funchal


Com a devida vénia ao Diário de Notícias da Madeira

O Partido da Nova Democracia (PND) realiza, a 17 de Junho, pelas 14h30, uma acção política em frente do edifício da Câmara Municipal do Funchal. O vereador Gil Canha prestará, na oportunidade, declarações à Comunicação Social.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

FORÇA SELECÇÃO!

Personificada no Miguel Veloso, uma simpatia de pessoa, nada vedeta como outros...

terça-feira, 1 de junho de 2010

O MELHOR ERA EXTERMINÁ-LOS, COMO FIZERAM OS NAZIS!

Coito Pita desafia o PS-M a aceitar rever a lei eleitoral para afastar do parlamento "partidos como o PND"




O PSD-M vai apresentar um requerimento para a constituição de uma comissão de inquérito para "avaliar o comportamento dos orgãos de comunicação social na violação dos direitos da maioria". A promessa foi feita por Coito Pita, durante o debate de uma proposta do BE para revisão do estatuto da oposição que permita que os partidos com um único deputado possam promover a realização de debates parlamentares com a presença do Governo Regional.

Coito Pita e o líder parlamentar do PSD-M, Jaime Ramos, garantiram que o actual regimento da ALM e o Estatuto Politico-Administrativo dão poderes aos partidos da oposição muito superiores aos que se verificam noutros parlamentos. Toda a oposição lembrou que a Assembleia Legislativa não cumpre a sua função de fiscalização do Governo, uma vez que o Executivo, pura e simplesmente, não se desloca ao parlamento.

O deputado do PSD-M aproveitou a intervenção para assumir que o seu partido quer rever a lei eleitoral regional e para desafiar o PS-M a associar-se a uma proposta que altere a composição do parlamento. Coito Pita foi claro ao afirmar que "a existência do BE é importante para a Madeira",mas que "não é razoável que a democracia permita que um partido do tipo do PND exista e tenha voz parlamentar".
 
Free counter and web stats
Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!