quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

NÃO GOSTAM DE OUVIR AS VERDADES, POR ISSO FOGEM!


Governo não ouve PND

Com a devida vénia ao Diário de Notícias da Madeira

Já começou a sessão de encerramento do debate do Programa do XI Governo Regional, com o Governo a protagonizar o primeiro episódio menos feliz. Assim que a deputada do PND, Rubina Sequeira, subiu ao palanque para fazer a sua intervenção, todos os membros do Governo Regional abandonaram o hemiciclo.


A deputada aproveitou a intervenção para denunciar as agressões, recentes, a dirigentes do seu partido que diz terem sido da responsabilidade de "capangas" a soldo da JSD e do PSD. Rubina Sequeira desafiou o "governo fantasma" a demitir-se, depois de ter apresentado uma "porcaria de programa".

domingo, 23 de outubro de 2011

PND promete responder à escalada de violência "dos mentecaptos da JSD"


Com a devida vénia ao Diário de Notícias da Madeira

O PND está cansado dos ataques dos "mentecaptos" do JSD e garante que não vai ficar a ver sem reagir os ataques contra bens dos militantes e dirigentes do partido. Hoje, numa conferência de imprensa junto ao Banco de Portugal, Baltasar Aguiar pediu a intervenção do presidente do PSD para acalmar os ânimos dos "meninos gordinhos da JSD". O responsável da Nova Democracia foi mais longe e acusou mesmo a JSD de ter recrutado "cadastrados" para cercar os militantes do PND.

Os ataques já atingiram o material de campanha, propriedades e, mais recentemente, os carros de família do dirigente Gil Canha. São, segundo Baltasar Aguiar, "actos de puro banditismo" feitos por jovens que "têm uma cabeça inversamente proporcional ao tamanho do corpo". A alegada escalada de violência atingiu, segundo Baltasar Aguiar, um tal nível que no último dia de campanha eleitoral um comissário da PSP foi agredido por um desses "mentecaptos da JSD".

O dirigente do PND lembra que esses ataques não foram apenas contra o PND. Na noite das eleições, dois militantes do PAN foram agredidos, houve incidentes com militantes do PCP na Rua da Carreira e na Fernão Ornelas foram atiradas granadas de fumo contra o DIÁRIO, enquanto no autocarro se gritava "Eu quero ver o DIÁRIO a arder" . E Baltasar Aguiar não esquece que o presidente do PSD celebrou a vitória nesse mesmo autocarro, com um cartaz em que o acusava de drogado.

domingo, 9 de outubro de 2011

MISSÃO CUMPRIDA!

Depois de ter deixado Alberto João Jardim violar repetidamente a lei, ajudando-o a conquistar mais uma vitória, vai-se embora... com a sensação de dever cumprido, claro!

Delegado da CNE na Madeira vai renunciar ao cargo

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

A VERDADEIRA OPOSIÇÃO AO JARDINISMO

Hoje, mais uma vez ficou muito claro quem faz oposição ao jardinismo.

O nervosismo que os neo-nazis demonstraram ao longo do dia por várias ocasiões, sempre que se deparavam com militantes do PND não engana. Eles sabem bem quem os incomoda e também quem se acomoda.

E não vale a pena virem com ameaças, que fazem e acontecem a partir de segunda-feira, porque estão frente a pessoas que já demonstraram em variadíssimas ocasiões a sua frontalidade e coragem. Não desistem e nunca desistirão enquanto não derrubarem este regime podre.

A quase mil quilómetros de distância, a minha homenagem a todos os militantes do PND Madeira!

NATO BOMBARDEIA A QUINTA DA VIGIA - Tempo de antena PND

terça-feira, 4 de outubro de 2011

AJUDEM O DEXIA....

...Que o Alberto João Jardim precisa de um banco que lhe empreste dinheiro!

DEXIA



O banco belga de que hoje se fala por estar à beira da falência devído à dívida grega, é provavelmente aquele que mais emprestou à Madeira...

Afinal não era defeito, é feitio....

domingo, 2 de outubro de 2011

MAIS UM EXEMPLO DO "JORNALISMO" DO JORNAL DA MADEIRA

Ainda dizem os gajos que são jornalistas.

Neste caso, das duas uma: ou é pura ignorância da realidade e o sr. Pita desconhece qual o partido do sr. Coelho, ou  (ainda pior) faz de propósito para lançar a confusão nas mentes dos eleitores. Em qualquer dos casos é gravíssimo e prova que por ali se faz tudo menos jornalismo rigoroso!

Eis a magnífica peça:

Coelho antecipa “inauguração”

O PND esteve ontem em Santo António a simular a inauguração da cota 500 que, horas mais tarde, o presidente do Governo Regional faria. O PND amarrou uma fita vermelha e branca nas extremidades do novo acesso a esta via expresso, no sítio do Laranjal, para, instantes mais tarde, José Manuel Coelho cortá-la, simulando a inauguração desta estrada onde, em 20 de Fevereiro de 2010, morreram várias pessoas devido à queda de uma grua.
«Viemos aqui em honra das vítimas que morreram debaixo da grua», disse José Manuel Coelho, criticando o presidente do Governo por «não respeitar» a «memória e a dignidade das vítimas», uma vez que as respectivas «famílias ainda não receberam a indemnização a que têm direito».
Alberto Pita

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

10 horas de protesto no JM


O protesto durou 10 horas. "Vamos passar da legítima defesa à acção directa. Vamos entrar no 'Jornal da Madeira', vamos-nos barricar aqui dentro enquanto não formos ouvidos pelo vice-presidente do Governo Regional ou pelo senhor bispo do Funchal. Daqui não sairemos".


Foi esta a frase-bomba proferida pelas 10h10 pelo deputado do PND e candidato, António Fontes que abriu o apetite para uma jornada recheada de episódios mediáticos. Às 20h15, à horas dos telejornais, Baltazar Aguiar regozijou-se por ter alertado o país "para a maior trafulhice política eleitoral".

Com a devida vénia ao Diário de Notícias da Madeira

A convocatória para a iniciativa política do PND tinha sido feita para a Rua do Ribeirinho, em frente ao 'Anadia', mas depressa António Fontes, Hélder Spínola, Eduardo Welsh, Baltazar Aguiar, Dionísio Andrade, Gil Canha, Joel Viana e Márcio Amaro ('Bexiga') rumaram ao JM.

Da declaração política à acção foi uma passo. Os candidatos, acompanhados pelos jornalistas tentaram aceder à redacção do JM. Os jornalistas foram expulsos do edifício pelo gerente-executivo, Rui Nóbrega, mantendo-se os candidatos no interior. Pela porta exterior do edifício foram visíveis empurrões.

Pouco depois, Rui Nóbrega veio pedir desculpa aos jornalistas e justificar a exaltação: "Eu nunca entrei na casa de ninguém sem permissão, não aceito nem admito", disse considerando a "intromissão abusiva, descarada, inadmissível" por não ter havido autorização prévia da gerência para aceder às instalações.

Lá dentro, os candidatos não arredaram pé e a PSP foi chamada ao local. Por volta das 12 horas, associou-se à luta do PND, o líder do PTP, José Manuel Coelho que estacionou o carro e passou a ser o 'speaker' da jornada. As televisões assentaram arraiais e fizeram directos. Populares e curiosos compuseram a Rua Fernão de Ornelas.

Pelas 12h30 um comunicado do PND reforça os motivos da iniciativa: "defender a pluralidade da informação e o fim da 'batota eleitoral'" fase à "omissão e cobardia de todos os responsáveis políticos nacionais".

Começaram as movimentações policiais. O chefe da PSP, António Carneiro veio clarificar que tecnicamente, os 8 elementos não estavam 'barricados' pois a redacção do JM estava a funcionar.

O cabeça-de-lista do PAN, Rui Almeida foi o segundo a solidarizar-se com a luta. Por ali passou também Raimundo Quintal. Os operacionais do PND que ficaram fora ostentaram uma faixa 'Abaixo a ditadura'. A carrinha da BIR posicionou-se ao cimo da Fernão de Ornelas e, entre os populares, elementos da PSP à paisana. Por volta das 15 horas chegou o comandante interno da PSP, Oliveira Martins que esteve cerca de uma hora mas não conseguiu convencer os manifestantes.

A comitiva do PS, liderada por Maximiano Martins, tentou mediar o conflito mas nem chegou a entrar nas instalações do JM. Fez uma declaração política e dirigiu-se ao Palácio de São Lourenço mas também não foi recebida por Ireneu Barreto.

A candidatura do BE, de passagem pela Fernão de Ornelas, solidarizou-se com a luta mas não com o método, responsabilizando Jardim por este tipo de episódios.

Por volta das 18h30, Tomás Freitas, do PND, levou comida aos 'barricados'. Até à hora da saída (20h15) houve negociações. Por essa hora os 8 elementos do PND saíram das instalações do JM com o braço no ar, com o V de vitória.

A Empresa JM (EJM) formalizou uma queixa-crime junto da PSP pela ocupação do edifício mas terá esbarrado numa questão formal uma vez que o legítimo proprietário do edifício é a Diocese do Funchal. Esta, por seu turno, por intermédio do comandante da PSP, manifestou a intenção de não apresentar queixa o que retirou à PSP a legitimidade para intervir usando a força. À noite a Diocese, explicou, em comunicado, por que não apresentou queixa.

Entretanto, os 'trabalhadores do JM' emitiram um comunicado, no qual lamentam que "em plena democracia ainda ocorram acontecimentos dignos do PREC, em que a liberdade de imprensa é ameaçada por uns indivíduos" que "invadiram a redacção deste matutino, sem respeito nenhum por quem trabalha" e que o momento de campanha "não justifica tudo".

Das 11h30 às 20h15: PTP em solidariedade ao longo de todo o dia


O Partido Trabalhista (PTP) animou as hostes enquanto os elementos do PND estiveram 'barricados'. Ao longo do dia Coelho proferiu palavras de ordem e de encorajamento à acção do PND. "O medo acabou", disse José Manuel Coelho. "A próxima invasão será aos tribunais", vaticinou.

A "luta corajosa" dos "camaradas do PND" foi aplaudida. O regime jardinista foi atacado. Por ter instrumentalizado o "Jornal da Igreja" para fazer "manipulação da informação". Por estar "ao serviço do regime e não do Evangelho".

José Manuel Coelho reiterou que não existe pluralismo no JM que faz concorrência desleal à outra imprensa, na medida em que é distribuído de graça.

Coelho criticou o facto dos órgãos de soberania se terem demitido das suas funções. "Onde está o Presidente da República e o Representante da República?" , perguntou. Instituições que, a par dos tribunais, deviam agir para entregar o JM à Igreja. Pois representam o Estado de Direito Democrático e a legalidade.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

MARINA DO LUGAR DE BAIXO - A OBRA EMBLEMÁTICA DO JARDINISMO

Esta obra da Madeira Nova do Dr. Alberto João Jardim é emblemática. Custou aos contribuintes verbas avultadíssimas que ultrapassaram toda e qualquer previsão inicial e nunca funcionou em condições!

Para além dos muitos milhões gastos desde 2004 nesta obra, que foram alvo de concursos públicos e que ultrapassam os cem milhões de euros (!), temos cerca de cinco milhões gastos nos últimos três anos, por adjudicação directa.

Adjudicante: 511146507 - Ponta do Oeste - Sociedade de Promoção e Desenvolvimento da Zona Oeste da Madeira, S.A.

Para ver melhor o quadro, clicar sobre o mesmo

AJUDEI, AJUDEM-ME!


Apenas alguns dos mais significativos passeios, digo viagens de trabalho, listados no site BASE, onde constam as adjudicações directas (ou seja falta tudo o resto...)

Há muita gente que enriqueceu com a política


Há muita gente que enriqueceu com a política  A sério? Não acredito!

É impossível! Alguma vez seria possível alguém passar de vendedor de sanitas para uma declaração de IRS de 750.000 euros em 30 anos? Impossível! É tudo com muito trabalho!

sábado, 24 de setembro de 2011

INDEPENDÊNCIA JÁ!

A reacção unânime no continente à "ameaça" de Alberto João Jardim é:

IMEDIATAMENTE!



sexta-feira, 23 de setembro de 2011

O MIJINHAS FOI APANHADO!


Líder da JSD identificado pela Polícia por destruição de propaganda


Cartazes do PND atirados para fundo da ribeira durante a madrugada
 
Com a devida vénia ao Diário de Notícias da Madeira
 
O líder da JSD, José Pedro Pereira, e outros três elementos desta organização política foram identificados pela Polícia de Segurança Pública (PSP) esta madrugada, no Funchal, como suspeitos de envolvimento na destruição de propaganda eleitoral do PND. A polícia foi alertada telefonicamente por volta das 03h00 da madrugada por elementos do PND que faziam uma ronda de vigilância nocturna, visto que alguns dos seus cartazes tinham sido destruídos no início da semana. O mandatário do PND, Dionísio Andrade, disse ao DIÁRIO que assistiu à destruição dos cartazes por José Pedro Pereira e pelos seus acompanhantes (que se faziam transportar num BMW escuro) e que foi ele próprio quem ligou para o 112 a dar o alerta. Quando a polícia chegou ao local indicado, a Rua 31 de Janeiro, constatou a presença dos quatro elementos da JSD, que negaram a autoria da destruição da propaganda e alegaram que "andavam a passear", embora o agente tenha feito constar no seu auto que "encontrava-se um cartaz no interior da Ribeira de Santa Luzia". Na verdade, dezenas de cartazes, todos do PND, foram atirados para a ribeira ao longo da Rua 31 de Janeiro, Rua 5 de Outubro e junto ao Largo da Autonomia.


Ao longo desta manhã, o DIÁRIO procurou ouvir a versão do líder da JSD, mas sem sucesso. Entretanto, face ao desmentido dos elementos da 'jota' do seu envolvimento na destruição da propaganda, dirigentes do PND anunciaram que vão requerer às autoridades a recolha de impressões digitais nos cartazes, de forma a desfazer eventuais dúvidas sobre a identidade dos autores do acto de vandalismo.

EU CONTO COM O CONTINENTE

PIRATA DA MADEIRA

CASA DOS SEGREDOS

terça-feira, 20 de setembro de 2011

COESÃO NACIONAL?

Cavaco sublinha importância da coesão nacional em "tempos difíceis"

Implica solidariedade, mas em ambos os sentidos. E quando de um dos lados estão pulhas desonestos, isso torna-se muito difícil!

EXCELENTE PERGUNTA! Os criminosos responsáveis por isto vão ser acusados?


Infelizmente neste país da treta já sabemos a resposta - NÃO! E a culpa é principalmente dos eleitores....

sábado, 17 de setembro de 2011

"UMA FALHA TÉCNICA, UM ERRO CONTABILÍSTICO" - GUILHERME $ILVA

O povo sabe distinguir entre o que é uma falha técnica, um erro contabilístico, daquilo que seria o desvio de dinheiros públicos para fins menos lícitos.

Mais uma magnífica anedota de um deputado que de forma reiterada não cumpre a obrigação de declarar os seus rendimentos no Tribunal Constitucional e que já recebeu milhares e milhares de euros por avenças e processos do governo regional (o que não sendo ilegal é no mínimo imoral...)

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

OBRIGADO AJJ! - Madeira, a "ilha desonesta", em destaque na imprensa mundial




'Financial Times' considera a Madeira a "ilha desonesta", enquanto o 'La Vanguardia' diz que Jardim é um "rebelde dentro do seu partido".

Com a devida vénia ao Económico

O buraco de 1.113 milhões de euros da Madeira, que foi hoje revelado pelo Banco de Portugal e pelo INE, não escapou à generalidade da imprensa internacional, que refere que vai colocar ainda mais pressão sobre Portugal no cumprimento das medidas acordadas com a 'troika' no âmbito do resgate internacional.

O Financial Times é um deles. No blogue de um dos seus colaboradores, o maior jornal britânico refere-se à Madeira como a "ilha desonesta". "A Madeira, um pitoresco arquipélago de 267,000 pessoas, esbarrou com Portugal continental esta sexta-feira, espalhando-se em cacos de um novo passivo", escreve o jornalista Joseph Cotterill no FT AlphaVille.

Também o Wall Street Journal colocou na sua homepage a notícia com o título: "Portugal encontra buraco de 1,5 mil milhões de dólares". O jornal económico norte-americano adianta que o "Banco de Portugal revelou esta sexta-feira que a ilha da Madeira, uma pequena região autónoma, omitiu 1,1 mil milhões de euros (1,53 mil milhões de dólares) de endividamento nos últimos ano, situação que vai colocar mais pressão sobre o país no cumprimento dos objectivos orçamentais perante o seu resgaste internacional massivo".

No país vizinho, é o La Vanguardia a dar conta do novo buraco madeirense, que "vai obrigar Portugal a rever o seu défice", referindo-se a Jardim como um político "com uma reputação de rebelde dentro do seu partido e historicamente polémico nas suas declarações".

Já no Brasil, o Globo titula que a "llha da Madeira omite dívida bilionária e eleva pressão sobre Portugal".


terça-feira, 13 de setembro de 2011

PND Madeira ataca "palavras descabidas" da CNE


O PND Madeira manifesta "estupefacção" perante "as palavras descabidas do porta-voz da Comissão Nacional de Eleições (CNE), Godinho Matos", que apelidou a denúncia do deputado do PND, António Fontes, feita hoje no DN sobre alegada fraude nas eleições presidenciais de 1980, de "acto exibicionista" e de ser "absolutamente irrelevante", a denúncia.

Com a devida vénia ao Diário de Notícias

De acordo com o líder da Nova Democracia, Baltazar Aguiar, "a organização que este senhor representa (CNE), em vez de se preocupar com as chapeladas constantes do dr. Jardim, tem andado entretida a censurar os tempos de antena deste partido com minudências, que vai assinalando a lápis azul, como nos tempos do dr. Salazar", refere um comunicado emitido hoje à noite.

"Infelizmente", acrescenta, "a CNE tem sido o órgão que mais tem branqueado as irregularidades dos actos eleitorais na Madeira", acusa o dirigente político. Isto porque, alega Baltazar Aguiar, antes das eleições, os representantes da CNE, "normalmente, junta os seus membros e apanham um avião para a Madeira, onde fazem turismo em hotéis de luxo. Para disfarçar as "férias" fazem umas audiências aos partidos da região, numa espécie de teatrinho de fantoches, e depois de ultrapassada esta chatice protocolar, cumprem normalmente um ritual antigo, e em manada vão para a Quinta Vigia, beber e comer à conta do dr. Jardim, que lhes passa a mão no pelo, numa verdadeira cerimónia de domesticação colectiva .Surpreendentemente, na ultima visita o dr. Jardim amuou e não os recebeu", argumenta o PND.

"Estes sim", frisa Baltazar Aguiar, "são actos exibicionista da CNE que vêm à Madeira num faz de conta, para depois nunca mais meterem cá os pés, enquanto o dr. Jardim vai fazendo inaugurações eleitoralistas, recorrendo ao Jornal da Madeira para fazer a sua propaganda, e no dia das eleições, mobiliza todos os meios do Estado - caciques, presidentes de câmara, de junta e casas do povo, viaturas de empresas publicas - para transportar, instrumentalizar e intimidar os eleitores" refere o comunicado.

O PND, "uma vez que a Europa está perdida nas mãos do nosso saudoso Durão Barroso, e uma vez que Portugal não existe", pondera apresentar "uma queixa na União Africana , continente, em que geograficamente a Madeira pertence de corpo, e infelizmente de alma, a solicitar que este organismo envie uma equipa de observadores às eleições regionais, a exemplo do que fez a União Europeia nas recentes eleições na Nigéria".

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Reconhecendo a incompetência da sua governação - Jardim pede a Passos plano de austeridade para a Madeira

Vítor Gaspar revelou hoje que, a pedido de Alberto João Jardim, será desenhado um plano de ajustamento para a Madeira.

Com a devida vénia ao Económico

O ministro das Finanças, ouvido hoje na comissão parlamentar de orçamento e finanças, adiantou hoje que Alberto João Jardim escreveu uma carta a Pedro Passos Coelho a pedir um programa de ajustamento financeiro para a Madeira. "O presidente do Governo Regional da Madeira escreveu uma carta ao primeiro-ministro, pedindo um programa de ajustamento estrutural e de estabilização financeira", declarou Vítor Gaspar.

Em resposta ao PS, o ministro disse também que esse plano é "bem-vindo" e "será desenhado com urgência", não adiantando contudo prazos nem pormenores.

Recorde-se que Alberto João Jardim já tinha reconhecido que as contas públicas da Madeira não estavam saudáveis e que, esta terça-feira, a Comissão Europeia confirmou um desvio na execução orçamental de Portugal este ano, que poderia pôr em causa a meta do défice de 5,9%, devido a 500 milhões de euros de dívidas com empresas da Madeira. Passos Coelho disse mais tarde que este valor já estava contabilizado no desvio de cerca de dois mil milhões de euros identificado pelo Governo nas primeiras semanas em funções. . .

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Petição Avaliação da sanidade mental de Alberto João Jardim

Para:Assembleia da RepúblicaPetição à Assembleia da República para avaliar a sanidade mental de Alberto João Jardim.


Exma. Sr.ª. Presidente da Assembleia da República Portuguesa:

Alberto João Jardim, Presidente do Governo Regional da Madeira há mais de 30 anos, tem demonstrado publicamente comportamentos que levantam fortes dúvidas sobre a sua sanidade mental. São conhecidos vários episódios de agressão a simples cidadãos que se lhe atravessam no caminho, chama impropérios a toda a gente, publicamente, utilizando um vocabulário que inclui “filhos da puta”, “bastardos”, “medíocres”, entre muitas outras referências ofensivas. Ainda recentemente, na festa anual do PSD-Madeira fez o gesto do “manguito” para a câmara de televisão da SIC e alguns dias antes tinha defendido a expulsão de um jornalista da Herdade do Chão da Lagoa por parte de Jaime Ramos dizendo que um dia também poderia perder a cabeça.

Alguns governantes mundialmente conhecidos (Hitler e Estaline, por exemplo) fizeram loucuras terríveis e arrastaram multidões para o abismo por terem perdido a noção da realidade e não saberem distinguir o bem do mal. A sanidade mental é, portanto, essencial para o exercício de funções governativas sob pena de permitirmos que alguém destituído de faculdades mentais mínimas faça uso do poder que a democracia proporciona a quem governa para cometer as maiores atrocidades, má gestão e ofensas.

Os cidadãos abaixo assinados solicitam à Assembleia da República que aprove a constituição de uma junta médica constituída por especialistas do foro psiquiátrico para avaliar a sanidade mental de Alberto João Jardim, Presidente do Governo Regional da Região Autónoma da Madeira, de modo a evitar que essa possível loucura tenha consequências irreparáveis sobre as práticas democráticas e a vida de muitos portugueses.

Os signatários


Assine AQUI

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

MAIS UMA VEZ TODOS OS PORTUGUESES VÃO PAGAR!

Continuam os desvarios económico-financeiros do Rei da Madeira e segundo as notícias de hoje, são mais 277 milhões de euros que os portugueses vão desembolsar... Ainda se fosse para melhorar a vida da maioria dos madeirenses, mas não, vai directo para o bolso de alguns!

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

QUANDO A PSP É NECESSÁRIA, NUNCA APARECE!

Ontem, no Funchal, estava aflito para urinar e procurei um carro de polícia, mas nada! Quando são mais precisos, não aparecem!

quinta-feira, 21 de julho de 2011

AI COITADINHOS, QUE VÃO FICAR NA MISÉRIA!

Alberto João Jardim e Miguel Mendonça foram notificados pela Caixa Geral de Aposentações (CGA) para devolverem os valores das pensões que acumulam com as respectivas remunerações pelo exercício do cargo, respectivamente, de presidente da Assembleia Legislativa e do Governo Regional. Mas não são os únicos.

Com a devida vénia ao Público
O presidente da Assembleia Regional pediu um parecer jurídico                                   

O presidente da Assembleia Regional pediu um parecer jurídico (Foto: Nelson Garrido)

A comunicação foi feita a quatro dezenas de entidades públicas regionais, incluindo cinco deputados e três governantes, presentemente em violação do novo regime que proíbe a contratação directa de aposentados para funções no sector público.

A CGA reclama ser ressarcida da totalidade das pensões recebidas indevidamente desde 1 de Janeiro, data da entrada em vigor do Decreto-Lei n.º 137/2010, que conferiu nova redacção aos artigos 78.º e 79.º do Estatuto da Aposentação, alterando substancialmente o regime de exercício de funções no sector público por aposentados, reformados e pensionistas da Caixa Geral de Aposentações. No caso de Jardim ou de Mendonça, com uma reforma de 4100 euros, o montante a devolver por cada um ultrapassa os 24 mil euros, uma vez que não é posto em causa o anterior limite à acumulação do vencimento com um terço da pensão, ou vice-versa, fixado pela Lei n.º 52-A/2005 que, tal como a extinção das subvenções vitalícias, nunca foi aplicado na Madeira.

O novo regime, como recorda a CGA no ofício enviado no final de Maio aos políticos madeirenses prevaricadores, caracteriza-se pela proibição de acumulação, total ou parcial, da pensão com a remuneração pelo exercício de funções no sector público. O novo decreto, aprovado no âmbito do Orçamento do Estado para 2011, abrange, além dos órgãos e serviços do Estado, os serviços da administração central, regional e local, directa e indirecta, e ainda as empresas públicas e entidades públicas empresariais do Estado, regiões autónomas e autarquias locais.

Dez dias para optar

A CGA deu um prazo de 10 dias às personalidades madeirenses, em situação de acumulação de pensão e remuneração não consentida pelo referido decreto-lei, para comunicar a sua opção quanto à prestação cujo pagamento pretendem ver suspenso: se o ordenado ou a pensão. Na falta de resposta, a CGA adverte que procederá à suspensão da pensão.

Miguel Mendonça, um dos notificados, discorda do procedimento da CGA. "A minha reforma da função pública é acumulável com a remuneração das funções políticas que exerço", garantiu ontem ao PÚBLICO, invocando um parecer nesse sentido elaborado, a seu pedido, pelo constitucionalista Jorge Bacelar Gouveia. "O que não é acumulável é a subvenção vitalícia dos antigos deputados com a remuneração do exercício de funções públicas", acrescenta Mendonça.

Em resposta à CGA, idêntica à dada por outros três deputados do PSD (Carmo Almeida, Gabriel Drumond e Ivo Nunes que contestaram a notificação acatada pelo deputado do PS, André Escórcio), Mendonça considera que o ofício da Caixa "decorre de qualquer programação estandardizada" que considera situações alegadamente não abrangidas pela lei ou então de "manifesto equívoco".

Por isso Mendonça exige a suspensão do prazo dado pela CGA, cujo ofício diz ter "dificuldade ou impossibilidade de considerar como notificação de qualquer decisão". Em sua defesa, citando um dos argumentos constitucionais de Bacelar Gouveia, alega que "os direitos dos titulares dos órgãos de governo próprio da região devem constar do respectivo Estatuto Político-Administrativo, que, no caso da Madeira, bloqueia esta questão e a das subvenções vitalícias ou do regime de incompatibilidades com o seu artigo 75.º: "O estatuto remuneratório constante da presente lei não poderá, designadamente em matéria de vencimentos, subsídios, subvenções, abonos e ajudas de custo, lesar direitos adquiridos."

Assim, sem atender às circunstâncias excepcionais de crise que determinaram as medidas de austeridade que atingem todos os portugueses, Mendonça conclui que "os titulares de cargos políticos não podem ser privados de um direito que também é constitucional - o direito à pensão de aposentação". Por fim, ameaçando proceder criminalmente por violação do regime de responsabilidade civil extracontratual do Estado, requer que seja facultada a identificação dos funcionários que tenham desencadeado ou intervindo neste procedimento da CGA.

domingo, 3 de julho de 2011

sexta-feira, 1 de julho de 2011

LÁ VAMOS, CANTANDO E RINDO...


Em mais uma das habituais palhaçadas montadas para distrair os incautos, o grande líder ressuscitou esta noite a Flama.

Vamos então a isso!

INDEPENDÊNCIA IMEDIATA PARA A MADEIRA!

terça-feira, 21 de junho de 2011

ASSUNÇÃO ESTEVES

A escolha por parte do PSD para presidente da Assembleia da República de Assunção esteves é mais uma clamorosa derrota de Alberto João Jardim e um indicador claro por parte de Passos Coelho contra a corrupção e o clientelismo.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

LEGISLATURA COMEÇA MAL!

Começa muito mal uma Legislatura onde no primeiro dia a Assembleia da República é presidida por um deputado que não cumpre a legislação!

quarta-feira, 8 de junho de 2011



Exmo Sr. Presidente da Assembleia da República,

Considerando que:

A Comissão Nacional de Eleições é actualmente um órgão meramente folclórico, incapaz de impôr o cumprimento da Lei Eleitoral, nomeadamente o artigo 56º da Lei Eleitoral Assembleia da República, que estatui a “Igualdade de oportunidades das candidaturas”;

A CNE também não impõe às entidades públicas o cumprimento do artigo 57º da mesma lei, que impõe a “Neutralidade e imparcialidade das entidades públicas”, permitindo inaugurações eleitoralistas no país até quase à véspera das votações;

O custo anual deste organismo em 2011 vai ser de cerca de um milhão e quatrocentos mil euros, sendo,dado os seus fracos resultados práticos, um verdadeiro sorvedouro do dinheiro dos contribuintes;

Esta entidade nem sequer consegue apresentar resultados fiáveis dos actos eleitorais, como aconteceu nas eleições presidenciais de 2010;

A CNE tem dois pesos e duas medidas, considerando que há queixas de anónimos que são tratadas em 24 horas enquanto outros cidadãos nunca recebem qualquer resposta a queixas apresentadas,

Os subcritores desta petição vêm propôr a dissolução da Comissão Nacional de Eleições.

1º signatário

João Manuel de Carvalho Fernandes

Assinar petição

quarta-feira, 1 de junho de 2011

A JSD EM ACÇÃO....

Cartazes do PND deitados ao chão

Os cartazes que o Partido da Nova Democracia colocou, durante a última madrugada, na baixa do Funchal, apareceram no chão e alguns dentro das ribeiras. Um acto de vandalismo que é documentado nas fotos.


Com a devida vénia ao Diário de Notícias da Madeira

Hélder Spínola, cabeça-de-lista pela Madeira, queixou-se desta atitude "anti-democrática" e lembrou que estes actos são puníveis com pena de prisão. O candidato do PND, numa acção de campanha que decorreu no Jardim Municipal, no Funchal, desafiou o líder do PSD-M, Alberto João Jardim, "para que não restem dúvidas", a vir a público "demarcar-se" destes actos.


Foi já apresentada uma queixa-crime na PSP, sendo que os dirigentes do PND desconfiam da acção de "um grupo da JSD". "Isto é uma coisa estranha. Parece que o PND chateia a ladroagem que desceu à cidade e só destruiu a nossa propaganda. Como é possível que se danifiquem 300 cartazes sem a Polícia ver?", questionou Baltasar Aguiar. A colocação da propaganda em causa, onde surge a caricatura de Alberto João Jardim a levar com uma moca na cabeça, decorreu até às 02h30 da madrugada, tendo os cartazes desaparecido de artérias centrais como Fernão Ornelas, Oudinot, Visconde Anadia ou 5 de Outubro.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

COMUNICADO PND LISBOA - Estão a tentar restringir a Liberdade


Hoje provou-se que Portugal já vive num clima de pré-ditadura.

A Comissão Nacional de Eleições permite debates a cinco nas televisões quando há 17 concorrentes. Apesar das queixas não toma medidas.

A Comissão Nacional de Eleições permite que Governantes façam inaugurações eleitoralistas a pouco dias da votação e nada faz quando recebe queixas.

A Comissão Nacional de Eleições não garante a liberdade de expressão daqueles que se opõem aos cinco partidos do sistema e habitualmente nunca julga em tempo útil as queixas que são feitas.

Onde estava a Comissão Nacional de Eleições quando o presidente do Governo Regional da Madeira chamou bastardos e filhos da puta a jornalistas?

Mas hoje, a C.N.E. foi célere em querer exercer censura sobre o PND por causa de um tempo de antena feito com humor, onde se criticam alguns tiques ditatoriais do regime madeirense, mas que se podem extrapolar para o continente, onde também há perseguições políticas e tentativas de silenciamento.

Há claramente por parte da C.N.E. dois pesos e duas medidas, mas não nos vão conseguir calar.

Não desistimos e pela nossa parte faremos guerra total a este sistema. Um sistema que nos tentou silenciar afastando-nos dos debates televisivos . Um sistema que agora nos tenta calar censurando os tempos de antena. Um sistema que na Madeira já coloca a polícia a seguir e vigiar cidadãos honestos só porque ousam manifestar-se contra as ditas inaugurações eleitoralistas. Repetimo-lo: da nossa parte terão guerra total.

domingo, 22 de maio de 2011

TEMPO DE ANTENA PND - COMEÇOU A REVOLUÇÃO

PND "encolhe" Sócrates e Passos Coelho para defender cortes na classe política

Os responsáveis do Partido Nova Democracia (PND) "encolheram" hoje simbolicamente os líderes socialista e social-democrata para defender o corte para metade da classe política, antes de um jantar-convívio, em Lisboa, com cerca de 40 pessoas inscritas.


"Estes dois bonecos que aqui tenho simbolizam uma das principais bandeiras políticas do PND, que vimos defendendo desde sempre: a diminuição de toda a classe política para metade", disse à Lusa o cabeça de lista do PND por Lisboa às Legislativas de 05 de junho, João Carvalho Fernandes.

O membro da direção do PND, gestor de empresas de 49 anos e antigo elemento da Juventude Centrista, defendeu um Parlamento com apenas 115 deputados, face aos atuais 230, acrescentando que os postos de secretários de Estado e de assessoria deviam igualmente ser "cortados".

Com a devida vénia à RTP

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Alguém sabe?

Alguém sabe se aquele partido impoluto que vai promover uma grande limpeza já entregou as contas de 2009?

E o orçamento de campanha de 2011?

E já fez o congresso para escolher os novos dirigentes para cumprir o que está nos seus estatutos, em vez de os nomear ao arrepio daquilo que eles próprios "legislaram"?

Ou é tudo só conversa?

domingo, 15 de maio de 2011

Candidatura do PND por Lisboa impedida de se manifestar


Candidatos do PND por Lisboa estiveram hoje com uma faixa que dizia “NÃO ÀS INAUGURAÇÕES ELEITORALISTAS” em Sintra na inauguração do novo quartel dos bombeiros de São Pedro de Sintra, que teve a presença do Ministro da Administração Interna, mas tiveram de abandonar o local por a GNR os ter informado que se não o fizessem não poderiam assegurar a sua integridade física.

Os candidatos pretendiam manifestar-se contra as inaugurações eleitoralistas que o governo vem fazendo, ao mais puro estilo do Estado Novo. Desde que foram marcadas as eleições, todos os dias vários membros do governo e governadores civis fazem inaugurações destas, de obras pagas pelos contribuintes.

São actos públicos, pagos com o dinheiro dos contribuintes, onde o Partido Socialista faz propaganda eleitoral.

O PND defende que dado que a lei não proíbe (como devia) este tipo de iniciativas, o decoro e a ética (a ética republicana com que os socialistas gostam de nos encher os ouvidos) deveriam impedir o Partido Socialista de ter estes comportamentos.

Como não o faz, parece-nos que chegou a altura de os portugueses abrirem os olhos e contestarem quem aproveita actos públicos para fazer campanha eleitoral, manifestando-se em todas as inaugurações que ocorrerem até às eleições com a presença de membros do governo, inaugurações essas pagas por todos nós!

terça-feira, 10 de maio de 2011

PND faz contas à fortuna que Guilherme Silva ganha


Hélder Spínola acha uma vergonha os 184 mil euros em ajustes com o Governo Regional

Com a devida vénia ao Diário de Notícias da Madeira

O cabeça-de-lista do PND às eleições de 5 de Junho, Hélder Spínola, desafiou o candidato social-democrata Guilherme Silva "a vir a público explicar aos madeirenses quanto é que tem ganho à custa do Orçamento Regional ao longo dos 24 anos" em que é deputado na Assembleia da República. Parte das contas foram apresentadas já esta manhã: num cartaz de campanha do PSD colocado perto do Tecnopólo, os elementos do PND colaram uma mala junto à fotografia de Guilherme Silva com a inscrição 184.600 euros. Segundo Hélder Spínola, foi este montante que o deputado e advogado social-democrata arrecadou nos últimos dois anos em ajustes directos com o Governo Regional. "Isto é uma vergonha, isto é imoral. Para além de ter o vencimento na Assembleia da República como deputado, vem ao orçamento dos madeirenses e subtrai 184 mil euros", exclamou o candidato do PND, que explicou que os 184 mil euros não são "o bolo todo" que o deputado 'laranja' tem à sua conta, pois "existem ainda contratos de avença com as câmaras, com o Governo, com as sociedades de desenvolvimento" e também o vencimento de deputado no parlamento nacional.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Troika contraria declarações de Sócrates

Editor de economia da TVI sublinha que plano de ajuda a Portugal «não é mais leve» do que os da Irlanda e Grécia, como o primeiro-ministro afirmou esta semana.

Com a devida vénia à Agência Financeira

Os elementos da troika «contrariam as declarações do primeiro-ministro». Vasco Rosendo, editor de economia da TVI, explica que as afirmações de Poul Thomsen, o representante do FMI na troika, são claras ao garantir que o plano de resgate a Portugal não é «mais leve» do que o que foi aplicado à Grécia ou à Irlanda. Bem pelo contrário: este plano é mais profundo.

Também Rasmus Rüffer, o elemento BCE, negou que este programa seja mais brando, uma ideia que José Sócrates sublinhou, na passada quarta-feira, em declaração ao país.

Já sobre estas declarações da troika, o primeiro-ministro preferiu esta quinta-feira não fazer qualquer tipo de comentário.

sábado, 30 de abril de 2011

AJJ A PATINAR.... Ai se ele cai!


O regresso do PND aos actos públicos do presidente do GR, desviou ontem as atenções durante a inauguração da zona de lazer da ribeira do Faial. Assim que Alberto João Jardim iniciou o discurso, e porque no novo recinto sobressai a pista de patinagem, alguns dos elementos da Nova Democracia posicionados 'na linha da frente' desfraldaram uma tarja com a inscrição 'a Madeira está a patinar'. O governante inicialmente ignorou mas depois reagiu à provocação quando 'disparou' na direcção dos "ambientalistas", dos "fascistas" e dos "filhos das trevas, para não chamar filhos de outra coisa", insinuou. Baltazar Aguiar, que chegou a ser abordado por um segurança do presidente, repetidamente interferiu chamando "mentiroso" a Jardim, que despediu-se desejando: "Deus me dê força para me rir dos patetas que andam por aí à solta".

Com a devida vénia ao Diário de Notícias da Madeira

Antes o presidente reivindicou "mais poder legislativo" para a Madeira e classificou de "autêntica vergonha" os entraves para que a Zona Franca da Madeira "vá por diante", quando "querem fazer uma em Sines", denunciou.

Jardim foi recebido com fogo de estalo e ao som de filarmónica, curiosamente vinda do Funchal, quando só no concelho de Santana existem três bandas! Muitos compareceram à inauguração transportados em vários autocarros fretados para transportar crianças e idosos da freguesia, embora alguns viajassem nem com 'meia dúzia' de passageiros.

terça-feira, 26 de abril de 2011

25 de ABRIL chega ao JM


Com a devida vénia ao Diário de Notícias da Madeira

PND vai continuar a combater o regime jardinista


Com a devida vénia ao Diário de Notícias da Madeira

O PND-Madeira garante que caso consiga eleger um deputado à Assembleia da República vai continuar a denunciar e a combater os atropelos e abusos do regime jardinista. A garantia foi deixada esta manhã pelo mandatário e número quatro da lista do PND, Dionísio Andrade, durante a apresentação da lista de candidatos deste partido às próximas eleições.

Segundo Dionísio Andrade, que falava no cais da cidade do Funchal, caso o PND consiga eleger um ou dois deputados à Assembleia da República "vai defender e combater este regime que nos governa há 30 e tal anos. Um regime que já deu o que tinha a dar e nos levou para a bancarrota, onde as dívidas acumulam-se dia a dia e quem irá pagar toda esta dívida provavelmente serão os nossos filhos e netos."

A campanha do PND, disse, será "centrada no combate ao regime. Os partidos políticos estão cristalizados, fecharam-se entre si e, portanto, a Sociedade deixou de acreditar no sistema político/partidário." O PND e os cidadãos que aceitaram integrar a lista vão, "sem jogos partidários, sem muitas regras e formalismos combater o regime jardinista que tanto nos atropela nos nossos direiros e liberdades".

O mandatário e candidato do PND reconhece ser "difícil eleger um deputado ou dois para a Assembleia da República", mas sublinha que os madeirenses e portosantenses podem contar "com um grupo de cidaddaõs que está aberto" e disponível para "combater um regime caduco e fora de prazo".

A Lei de Meios e a forma como será aplicada para "alimentar a máquina bélica do betão do regime jardinista" e alguns atentados ao ambiente provocados pela "ganância de fazer obra a todo o custo para representar e simbolizar apenas em actos eleitorais e que não têm utilidade nenhuma" serão algumas das denúncias prioritárias do PND.

Dionísio Andrade explicou que durante a campanha o PND vai continuar a "utilizar a denúncia dos principais problemas que afectam a Região, mas também vamos ridicularizar o regime. Vamos ter nas nossas acções de campanha o já conhecido e famoso Manuel Bexiga", diz Dionísio Andrade acrescentando que a "Região chegou a um estado tal que só mesmo gozando e ridicularizando esta situação" será possível saber "se quem nos desgovernou ao longo destes anos tem um pouco de vergonha pela situação em que todos nos encontramos, que é uma situação de bancarrota."

A lista apresentada é constituída "essencialmente por pessoas da sociedade civil, é encabeçada por Hélder Spínola, professor universitário e "representante da Madeira Velha". Segue-se Rubina Sequeira, advogada e "representante da Madeira Velha". Em número três da lista surge Baltazar Aguiar, o "único representante da Madeira Nova e um perigoso comunista". Já em quarto lugar surge Dionísio Andrade, "jornalista e perigoso fascista da Madeira Velha". O quinto lugar é ocupado por Catarina Santos, educadora de infância no Porto Santo e "perigosa fascista da Madeira Velha". O´último lugar da lista é ocupado por Gil Canha, empresário e ex-membro da "União Nacional".

Já a lista dos suplentes é encabeçada por Amâncio Silva, empresário da construção civil. Em segundo lugar surge Tomás Freitas, funcionário público. "Como vêm é uma lista de perigosos fascistas com apenas um ou dois representantes da Madeira Nova", sublinhou Dionísio Andrade.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

PND “liberta” Jornal da Madeira em comemoração do 25 de Abril

Dirigentes do Partido da Nova Democracia (PND) utilizaram esta manhã uma chaimite militar para “libertar das garras do jardinismo” o Jornal da Madeira que, dizem, “continua a ser o símbolo do totalitarismo” nesta região.

Com a devida vénia ao Público

Com esta acção política comemorativa da revolução - semelhante à desenvolvida há dois anos quando dirigentes daquele partido “ocuparam” a Quinta Vigia, sede da presidência do governo regional, e exigiram a “rendição” de Alberto João Jardim à democracia – o PND pretendia alertar que o “25 de Abril não chegou à Madeira. “Pretendemos também denunciar que o regime, como no passado, continuar a utilizar um jornal, pago pelos contribuintes, para fazer propaganda de um partido totalitário e do seu líder”, justificou Eduardo Welsh.

A revolução de Abril, por recusa do PSD, voltou este ano a não ser celebrado na Assembleia Legislativa da Madeira. Com excepção deste partido e do CDS/PP, os restantes cinco partidos representados no parlamento assinalaram a data com iniciativas próprias.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Candidatura de Spínola 'irrita' partidos


O avanço de Hélder Spínola como cabeça de lista do PND-Madeira às eleições legislativas de 5 de Junho está a dar que falar entre as estruturas partidárias da Região.

Com a devida vénia ao Diário de Notícas da Madeira

A candidatura do independente ganhou destaque, ontem, nas redes sociais, com a classe política a prestar especial atenção ao lema de Spínola: "uma candidatura contra os partidos".

"Se esse partido ganhar, acaba com os partidos e com a democracia?", ironiza o independente Carlos Pereira, lembrando que "sem partidos não há democracia".

Na resposta, Spínola explica que não quer acabar com os partidos. A ideia, diz, é demonstrar que essa não e´ "a única forma de surgirem candidaturas".

Também nas redes sociais, o centrista Lopes da Fonseca questiona a legitimidade de "alguém se afirmar independente" e, depois, "todos os partidos lhe servem para se candidatar".

O deputado vai mais longe e considera que usar "um partido e dizer que se apresenta contra os partidos (...) é a mais pura contradição e hipocrisia política".

Também para o economista Ricardo Fabrício, "a negação da possibilidade da democracia sem partidos é capaz de corresponder a um exercício de negação - em abstracto - da própria democracia".

quinta-feira, 14 de abril de 2011

É A ISTO QUE CHAMAM DEMOCRACIA MUSCULADA, NÃO É?

Realmente na Madeira há muito seguidores de Chavéz e afins, que levam as pessoas a ter medo...


Autor de “Jardim, a grande fraude” queixa-se de recusas da apresentação do livro na Madeira

“Jardim, a grande fraude” é apresentado esta quarta-feira em Lisboa. O retrato do homem que governa a Região Autónoma da Madeira há três décadas ainda não foi apresentado na região, porque não houve nenhum hotel nem livraria que aceitasse acolher o lançamento. Quem o diz é o próprio autor do livro, Ribeiro Cardoso, em entrevista à jornalista Alexandra Costa.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

segunda-feira, 4 de abril de 2011

NOTÍCIAS DA BOLA

Já vi tanto jogador promissor acabar a carreira por escolha errada do empresário...

Mas o empresário enriqueceu com a comissão paga...

E invariavelmente de início a conversa era do tipo, "agora é que vai ser, vou ter uma grande carreira". Muitos, nunca mais se ouviu falar deles, pouco tempo depois dessa transferência!

GIL CANHA: ARQUIVAMENTO É PROVA DO DESCRÉDITO DO MINISTÉRIO PÚBLICO


Com a devida vénia ao Diário de Notícias da Madeira

quarta-feira, 30 de março de 2011

COMUNICADO DO PTP

Está visto que o gordo começou a escrever os comunicados do PTP!

Vejam esta maravilha:

http://www.trabalhista.pt/site/index.php?option=com_content&view=article&id=39:a-demissao-de-socrates-representa-uma-grande-vitoria-do-povo-portugues&catid=1:noticias&Itemid=10

A demissão de Sócrates e do seu governo representa uma grande vitória do povo português.

Cavaco Silva deve aceitar imediatamente a demissão do Governo e convocar eleições.

Como é sabido, o PTP há muito que tem vindo a anunciar como única solução e a demissão governo de Sócrates.

A recente demissão de Sócrates é, pois, uma grande vitória do povo português e representa uma derrota para todos quantos, da direita à esquerda parlamentar, adiaram por tanto tempo a única solução que o PTP tem vindo a antever desde há muito tempo.

Sócrates, como o nosso Partido sempre denunciou, foi e é pequeno, na cultura e na democracia, mentiroso, arrogante e prevaricador na perseguição às pessoas simples do povo, pelo que foi um facto muito positivo ter sido finalmente derrubado.

Do ponto de vista dos trabalhadores, a alternativa a este governo encontra-se na constituição de um governo democrático representativo da População Portuguesa, com vista a resolver os problemas da classes mais exploradas da População Portuguesa com um programa de desenvolvimento económico e um plano de combate ao desemprego.

Todos os partidos parlamentares, têm apresentado propostas para resolver o problema de uma dívida pública que não foi contraída pelo povo português.

Mas nós não temos um problema de dívida, mas sim um problema de fome, de miséria e de desemprego e exploração dos mais desprotegidos e com menor poder reivindicativo.

Nesta matéria, o PTP defende a imediata realização, pelo Banco de Portugal, de uma auditoria à dívida, para se definir exactamente quanto, porquê e a quem deve Portugal.

Por nós, entendemos que não se deve pagar a dívida, mas estamos dispostos a trabalhar com aqueles que defendam, no mínimo, um reescalonamento dessa mesma dívida.

O PTP defende que Cavaco Silva de aceitar de imediato a demissão de Sócrates, assim como deve convocar imediatamente eleições, e opõe-se a quaisquer manobras dilatórias de Cavaco Silva, que visem apenas aumentar o apodrecimento da situação ou o favorecimento uma votação mais alargada no seu partido, o PSD.

Saudações Trabalhistas

A Comissão de Imprensa do PTP


GOSTARAM?


Então vejam este:

http://www.pctpmrpp.org/index.php?option=com_content&task=view&id=460&Itemid=1

A demissão de Sócrates representa uma grande vitória do povo português.

Cavaco Silva deve aceitar imediatamente a demissão do Governo e convocar eleições.

1. Como é sabido, o PCTP/MRPP foi o único partido que de há muito defendeu a necessidade de derrubar o governo de Sócrates.

2. A recente demissão de Sócrates é, pois, uma grande vitória do povo português e representa uma derrota para todos quantos, da direita à esquerda parlamentar, não quiseram ou se opuseram a esse derrube.

3. Sócrates, como o nosso Partido sempre denunciou, foi e é pequeno, na cultura e na democracia, mentiroso, arrogante e prevaricador na perseguição às pessoas simples do povo, pelo que foi um facto muito positivo ter sido finalmente derrubado.

4. Importa é evitar que essa vitória seja – face à estrondosa derrota da pretensa esquerda parlamentar, incapaz de apresentar qualquer alternativa ao povo – embolsada pela direita.

5. Do ponto de vista dos trabalhadores, ou seja, da verdadeira esquerda, essa alternativa existe e encontra-se na constituição de um governo democrático e de esquerda, com vista a resolver os problemas do Povo Português, com um programa de desenvolvimento económico e um plano de combate ao desemprego.

6. Todos os partidos parlamentares, incluindo o B.E. e o P.C.P., têm apresentado propostas para resolver o problema de uma dívida pública que não foi contraída pelo povo português.

Mas nós não temos um problema de dívida, mas sim um problema de fome, de miséria e de desemprego.

7. Nesta matéria, o PCTP defende a imediata realização, pelo Banco de Portugal, de uma auditoria à dívida, para se definir exactamente quanto, porquê e a quem deve Portugal.

Por nós, entendemos que não se deve pagar a dívida, mas estamos dispostos a trabalhar com aqueles que defendam, no mínimo, um reescalonamento dessa mesma dívida.

8. O PCTP/MRPP exige a imediata aceitação da demissão de Sócrates e a imediata convocação de eleições, e opõe-se a quaisquer manobras dilatórias de Cavaco Silva, que visam apenas aumentar o apodrecimento da situação e favorecer uma votação mais alargada no seu partido, o PSD.

Lisboa, 24/03/2011

A Comissão de Imprensa do PCTP/MRPP


COMO SE PODE SER TÃO BURRO EM 2011, COM A DIFUSÃO QUE A NET TEM?

 
Free counter and web stats
Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!